CARCINOMA ESPINOCELULAR NA CAVIDADE BUCAL – IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE

Autores

  • Natalia Tieri Minetto
  • Sara Nader Marta
  • Heitor Albergoni Silveira Departamento de Diagnóstico e Cirurgia, Faculdade de Odontologia de Araraquara (UNESP) – Araraquara-SP
  • Marcos Martins Curi
  • Camila Lopes Cardoso

DOI:

https://doi.org/10.47296/interao.v3i1.301

Resumo

O Carcinoma Espinocelular (CEC) é considerado a sexta neoplasia maligna mais comum. Em homens, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), é compreendido como a quinta neoplasia maligna mais frequente. Sua etiologia é multifatorial, estando associado ao hábito de fumar e beber, podendo ser precedido por uma desordem potencialmente maligna (DPMO), como leucoplasia, eritroplasia e queilite actínica. O atraso no diagnóstico dessas lesões pode causar altas taxas de morbimortalidade na população do mundo todo. Diante do exposto, o objetivo do nosso trabalho é relatar um caso de um paciente do sexo masculino, 61 anos de idade, foi encaminhado para avaliação de uma lesão na região posterior da língua. Durante o exame clínico, relatou ser trabalhador da zona rural, diabético tipo 2 e ter o vício de fumar cigarros de palha há 50 anos. Clinicamente foi possível observar uma lesão eritroleucoplásica com áreas erosivas, localizada na região posterior lateral da língua, do lado direito, assintomática, com evolução de 6 meses. Foi realizada uma biópsia incisional e o exame anatomopatológico revelou displasia epitelial de grau moderado. O paciente foi encaminhado para um serviço de referência para remoção da lesão. O exame microscópico da peça cirúrgica confirmou o diagnóstico de CEC. Atualmente ele se encontra em acompanhamento médico e odontológico, após 6 meses da cirurgia. O presente caso mostra a importância do cirurgião dentista em reconhecer os aspectos clínicos iniciais de uma lesão maligna afetando a cavidade oral, para o diagnóstico precoce e maior sobrevida ao paciente.

 

Downloads

Publicado

2022-09-05